logo legaltech invenis logo invenis software jurífico
invenis advocacia 4.0
logo lawtech invenis

Criptografia: como funciona?

Novidades 26 jan 2022

Um dos assunto mais comentados dos últimos tempos é a segurança no ambiente virtual, sobretudo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). A criptografia entra nesse campo como uma das grandes aliadas tanto por quem compartilha como por quem detém a informação.

Apesar de ser uma prática que está cada vez mais no dia a dia das pessoas, poucas sabem o que é e como funciona a criptografia. Por isso, neste conteúdo vamos explicar tudo sobre essa tecnologia que age em prol da proteção de dados.

Continue com a gente!

O que é criptografia?

A criptografia é responsável por estudar maneiras de garantir uma comunicação e armazenamento de dados de forma segura, mesmo quando há presença de terceiros – também chamados de “adversários”.

Na prática, é a construção de vários protocolos e barreiras que impedem outras pessoas de terem acesso a informações privadas. Mesmo que sejam interceptadas ou acessadas, fica muito mais difícil entender o que elas querem transmitir. Apenas quem tem aquela chave específica consegue decifrar.

É como se uma mensagem simples, como “olá, tudo bem?”, virasse um conjunto único de números, letras e diversos caracteres e se tornasse praticamente impossível de decodificar.

E esse conceito não surgiu na modernidade ou na Era Digital. O primeiro uso conhecido foi encontrado em hieróglifos irregulares esculpidos em monumentos do Antigo Império do Egito.

Porém, uma das formas mais conhecidas é a Cifra de César – nome dado em homenagem a Júlio César, ex-ditador da República Romana. Ele a utilizou com o objetivo de enviar mensagens aos seus generais sem que o inimigo conseguisse identificar seus conteúdos.

Mais tarde, a criptografia também foi usada nas guerras mundiais, já que a comunicação entre tropas aliadas, por exemplo, tinha que ser cifrada para impedir que o inimigo conseguisse ler. O filme “Jogo da Imitação” (2014) , do diretor Morten Tyldum, retrata sobre o tema e mostra a história de Alan Turing, lógico, matemático e pioneiro da ciência da computação.

Criptografia: como funciona?

A criptografia se baseia no uso de algoritmos matemáticos que transformam mensagens em códigos. O mais interessante é que eles são indecifráveis, a não ser para as pessoas que possuam a chave de acesso. Vamos a um exemplo prático para deixar mais próximo da nossa realidade:

Alguns aplicativos de mensagens possuem criptografia. Ou seja, as mensagens que você envia são todas codificadas. Mas como as pessoas com quem você conversa por esses apps conseguem ler? Porque ao adicioná-la e iniciar um bate-papo, vocês compartilham uma com a outra a chave capaz de decifrar as mensagens trocadas.

Existem dois tipos de proteção criptográfica, sobre os quais falaremos a seguir. O importante é saber que não existe um tipo certo ou errado, melhor ou pior, tudo depende de como vai ser utilizado e se há outros fatores envolvidos.

Simétrica

Também conhecida como criptografia de chave secreta ou privada, esse tipo de proteção utiliza uma única chave para decifrar e decodificar as mensagens.

No exemplo do aplicativo de mensagens, quem envia é quem recebe a mensagem compartilham a mesma chave.

Assimétrica

A criptografia de ponta a ponta, de chave pública ou somente assimétrica utiliza chaves diferentes e complementares, que têm como função:

  1. Codificar a mensagem
  2. Decodificar a mensagem

O compartilhamento da mesma chave não é necessário, pois existe uma chave pública para criptografar a mensagem e outra privada, para que o receptor a decifre.

No caso do app de mensagem, em uma conversa entre duas pessoas, é necessário ter duas chaves  e duas decodificadoras, para que as mensagens sejam enviadas criptografadas e, então, decifradas pela outra parte.

Quando utilizar a criptografia?

Toda e qualquer organização que tenha informações sensíveis precisa de um bom protocolo de segurança. Apenas dessa forma é possível garantir um nível maior de proteção dos dados armazenados nas redes e nuvens.

Na Invenis, por exemplo, nós utilizamos a criptografia no nosso banco de dados.

As informações de acessos dos clientes são codificadas, assim que são cadastradas nas nossas ferramentas. Dessa forma, impedimos que elas sejam utilizadas por terceiros.

Gostou de saber como funciona a criptografia e o quanto ela protege os nossos dados? Cadastre-se na newsletter da Invenis para ficar por dentro de todos os assuntos que rolam por aqui!

Tags:
Continue conosco:

Assine nossa newsletter

Receba as notícias da Invenis e as últimas novidades do mundo jurídico direto em sua caixa de entrada:

logotipo whatsapp